Agenda

maio 2009
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Nem tão recentemente

Educação Urbana

O Professor Pedro Lessa é uma figuraça! E eu digo isso com todo o respeito e o carinho que essa expressão possa carregar. Nos meus tempos de aluna de Arquitetura da FAU/UFRJ, ele deu aula de História da Arquitetura IV pra minha turma. Um cara diferente, rigoroso, sistemático, com umas propostas de exercício meio heterodoxas, e umas idéias esquisitas. Imagina, ele dizia pra gente que se a gente olhasse com atenção, os prédios faziam “psiu” pra gente na rua.  E não é que, algum tempo depois, eu comecei a ouvir isso mesmo? Os prédios falam comigo hoje, um monte deles, e o professor Pedro Lessa é parcialmente responsável por isso, pela atenção com que eu olho pra cidade, pra cada detalhe, pros materiais, pro conjunto, pras gentes que andam na rua.

Alguns anos atrás, descobri que ele agora planta essas idéias estranhas na cabeça de criancinhas aqui no Rio de Janeiro, e fui lá conversar com ele. É um projeto fascinante, e eu só lamento que, após pelo menos 4 anos, ele ainda continue como um projeto piloto, sem a visibilidade e o apoio que deveria ter, tocado quase exclusivamente por esse Dom Quixote da Arquitetura carioca, ainda que com enorme paixão. Chama-se Projeto Educação Urbana nas Escolas, e é uma parceria entre as Secretarias Municipais de Urbanismo e de Educação, voltado para crianças que habitam áreas carentes e frequentam escolas municipais. Nesses quatro anos, o projeto já atingiu 450 alunos de 13 escolas em diferentes bairros e comunidades, e foi premiado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), pela relevância da iniciativa.

É pouco? Diante do tanto que esta cidade precisa, diante das milhares de crianças que ainda não foram beneficiadas, é. Mas é um trabalho de formiguinha, de alguém que arregaçou as mangas e se propôs fazer o que está a seu alcance, em vez de só se queixar que não há solução para a cidade. Ele vai nas escolas, dá umas aulas muito interessantes, procurando sensibilizar e instrumentalizar as crianças para uma observação do espaço mais atenta, partindo da escala da sala de aula, da casa do aluno, para o pátio da escola, até chegar aos passeios na rua. Nesse processo, idéias e conceitos sobre conforto e higiene, sobre estilos históricos, sobre cidadania, patrimônio e valorização do espaço público são discutidas com as crianças, que manifestam suas experiências urbanas através de desenhos e redações. Tem um videozinho aqui que mostra o professor em ação, e que eu achei bem legal.

São iniciativas que precisam ser apoiadas e replicadas. E eu diria até que não só nas escolas públicas. Tem muito aluno de escola particular que precisava discutir mais e aprender mais sobre esses temas todos, em especial sobre a convivência democrática no espaço público.

Se você tiver curiosidade, tem mais informações sobre esse projeto no site da Secretaria Municipal de Urbanismo.